Uncategorized

Escolas portuguesas perderam cerca de 40 mil alunos em sete anos

Crianças a torto e a Direitos

Notícia do Público de 12 de junho de 2015.

1

Clara Viana

O 1.º ciclo de escolaridade foi o mais afectado devido à quebra acentuada da natalidade.

Em sete anos, o sistema de ensino não superior perdeu 37.667 alunos jovens, segundo revelam os dados preliminares relativos ao ano lectivo de 2013/2014 divulgados pela Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC).

Num quadro sobre a evolução dos alunos entre 2007/2008 e o ano lectivo passado constata-se que o total de inscritos desce de 1,61 milhões para 1,57 milhões. A quebra de inscritos é particularmente acentuada no ensino básico que, no mesmo período, perdeu 97.752 alunos, uma diminuição que só não se reflecte mais na descida total porque foi compensada por um acréscimo de alunos no ensino secundário, que em sete anos ganhou 59.665 inscritos.

Estes dados reflectem, como tem sido frisado pela DGEEC, “os dois impactos de sentido inverso” que actualmente…

View original post 702 more words

Comentar publicação

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s